Artigo produzido por Alexandra Rezende Silva – Mestranda em Administração UFLA

 

A empresa Natura foi fundada em 1969 por Antônio Luiz da Cunha Seabra com apenas uma loja e um laboratório em São Paulo. Posteriormente em 1989 ocorreu uma fusão das quatro empresas que formavam o Sistema Natura. Hoje está presente na Argentina, Peru e Chile e Bolívia e é uma das maiores empresas de cosméticos do país (GUIMARÃES, 2010).

 A companhia desenvolve, fabrica, distribui e comercializa cosméticos, fragrâncias e produtos de higiene pessoal. Se caracteriza pela utilização do canal de vendas diretas por meio de revendedoras, conhecidas como Consultoras Natura, que disseminam a missão da empresa de criar e comercializar produtos e serviços que promovam o bem estar/estar bem (ALVES, 2006).

Hoje a sede da empresa em Cajamar, SP, abriga um centro integrado de pesquisa, produção e logística. Possui também fábricas e  laboratórios em outras partes do país e até mesmo na França como ferramenta para consolidar a sua posição no exterior (GUIMARÃES, 2010).

No sentido de pesquisa e desenvolvimento a empresa trabalha com foco na criação de produtos sustentáveis e econômicos, incentivam o uso de refis, vegetalizam as suas fórmulas, usam ingredientes de fonte renovável e valorizamos a biodiversidade brasileira, ainda tem compromisso com a redução das emissões de carbono. No ano de 2012 a marca arrebatou o segundo posto na classificação das empresas mais sustentáveis do mundo pelo ranking da Corporate Knights, grupo canadense de produtos financeiros, mídia e pesquisa. (NAS ENTRELINHAS, 2016.)

Essa busca bela sustentabilidade é vista claramente na sua linha Natura Sou, desenvolvida por meio de um processo colaborativo entre dois escritórios de design brasileiros, a Tátil Design e a Questto Nó, que trabalharam conjuntamente com uma equipe multidisciplinar constituída de designers, farmacêuticos e equipe do marketing de forma a criarem soluções que causassem o menor impacto ambiental possível (DESIGN BRASIL, 2016).

A linha representa o maior esforço da marca para apresentar cosméticos de baixíssimo impacto ambiental, com o mínimo de material e o máximo de impacto sensorial. Os produtos foram desenvolvidos com base em uma pesquisa que buscou entender as principais necessidades das pessoas que consumiam ou desejavam os produtos Natura e também a relação da marca com as consultoras (TÁTIL, 2016).

Como resultado final, foram desenvolvidas embalagens inspiradas em uma gota, com cores vivas e design que faz de Sou um produto Eco-sexy, além disso teve uma redução de 70% de plástico em sua composição e a redução de 50% na emissão de CO2. Os produtos se assemelham às demais linhas de cuidados para o dia-a-dia da Natura, sem perda alguma em qualidade. A linha conta com 27 itens, e os consumidores levam para casa apenas o essencial, com uma embalagem prática, é possível utilizar os produtos até a última gota, sem desperdícios (DESIGN BRASIL, 2016; TÁTIL, 2016).

A sua embalagem traduz a organicidade da linha SOU, pois remete a simplicidade das soluções naturais: a gota, a forma mais essencial que a matéria líquida pode apresentar. O formato é único para toda a linha. Apenas as cores diferenciam as categorias de produtos, facilitando a escolha e criando uma identificação rápida e intuitiva: os verdes limpam, os azuis hidratam e os tons quentes, como vermelho, tratam (NAS ENTRELINHAS, 2016).

Outro diferencial da linha se refere ao transporte e armazenagem, pois seu ingresso na fábrica se dá na forma de rolo de filme plástico; em seguida, entra em uma única máquina que sela o filme, corta no formato da embalagem, recebe o produto e coloca a tampa. Em função dessa logística, para cada 1.000 embalagens vazias da linha SOU, seria possível transportar apenas 28 das embalagens tradicionais. Menos transporte expressa menos gasto de combustível e poluição (NAS ENTRELINHAS, 2016).

“Sou nasce como direcionador de um novo contexto, que pede marcas que sejam protagonistas na construção de relações de negócios que vão além de direcionamentos econômico-financeiros de curto prazo. E, ainda, marca a retomada da Natura em sua posição de constante inovação dentro de um mercado com concorrentes cada vez mais agressivos”. (TÁTIL, 2016).

Referências
ALVES, M. A. Abertura de capital no Brasil: o estudo de caso da Natura Cosméticos S.A. Rio de Janeiro: PUC, Departamento de Administração, 2006.
DESIGN BRASIL. Linha Sou: Natura conquista nova fatia do mercado e um prêmio IF. Disponível em: < http://www.designbrasil.org.br/design-em-pauta/linha-sou-natura-conquista-nova-fatia-do-mercado-e-um-premio-if/ > Acesso em 16 jun. 2016.
GUIMARÃES, Terezinha de Jesus. Instituições e Empresas no Processo de Geração de Inovações: um estudo de caso da Natura. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.
NAS ENTRELINHAS. Linha SOU da Natura: prazer sem desperdício. Disponível em: <http://www.nasentrelinhas.com.br/noticias/espelho-meu/573/linha-sou-da-natura-mais-prazer-menos-desperdicio/> Acesso em 16 jun. 2016.
TÁTIL. Natura Sou: Disponível em: < http://tatil.com.br/w/naturasou/> Acesso em 16 jun. 2016.

jornada-de-marketing-de-alimentos

Deixe um Comentário