O marketing digital está em alta. Não porque é moda, mas porque dá resultados reais e o melhor, com um custo menor. Além disso, por meio do marketing digital é possível saber detalhes de uma campanha, como por exemplo, qual a fonte de tráfego mais eficiente, entender onde o usuário clicou em seu site, em que passo do funil de vendas ele parou, quantas pessoas converteram em suas campanhas, entre outros inúmeros dados mais aprofundados. É aí que o Google Analytics entra para te auxiliar.

O lendário comerciante americano John Wanamaker, conhecido como criador das lojas de departamento, disse uma frase que se tornou muito famosa e até hoje circula entre os profissionais de marketing: “Eu sei que metade do dinheiro que gasto em publicidade está sendo desperdiçado, o problema é que não sei qual metade”.

Pode até parecer engraçada essa colocação, mas é exatamente isso que muitas empresas vivem até hoje. A publicidade tradicional não consegue mensurar corretamente, e com precisão, os impactos de uma propaganda e, principalmente, quanto cada canal de mídia de fato contribuiu para a geração de leads e vendas.

Com o marketing digital é possível identificar as ações de maior retorno para aumentar o investimento nas empresas, ao passo em que as menos efetivas podem ser corrigidas ou mesmo cortadas, eliminando o desperdício de tempo e dinheiro. O problema é que mesmo as empresas que investem em Marketing Digital e sabem o quanto pode ser mensurado acabam se atrapalhando com isso e não colocam na prática de forma adequada.

As estimativas adquiridas não darão números exatamente precisos, mas vão ajudar a entender a ordem de grandeza de impacto dos seus projetos e ter um norte de priorização melhor do que o simples palpite dos responsáveis da área.

Uma das formas de medição dessas estimativas é através do Google Analytics. O melhor de tudo é que você não pagará nada para utilizá-lo.  O primeiro passo a se fazer é configurar o seu website. Caso ainda não tenha feito essa etapa, veja em nossa postagem “Aprenda como configurar um website no Google Analytics um manual simplificado de como fazer.

Para compreender o funcionamento do GA, é preciso entender seus termos, pois serão recorrentes nos relatórios. Vamos a eles.

1.Dimensões x Métricas

O mais básico dos básicos é compreender a diferença entre dimensão e métrica.  É simples:

Dimensões são as descrições ou características de um objeto no qual podem ser atribuídos valores diferentes. Tipos de navegadores, páginas de saída, páginas visitadas e tempo de sessão são exemplos de dimensões que aparecem por padrão no Google Analytics. Isto é, as dimensões mostram as características dos seus usuários, visitantes e das sessões e ações de cada um. Por exemplo, a dimensão “Cidade” mostra de quais cidades os usuários são (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, etc.), a dimensão “Página” mostra quais URLs originaram os usuários. Para saber as dimensões fazem-se as perguntas “quando?”, “De onde?”, “Qual?”.

Já as métricas são os elementos individuais de uma dimensão, que podem ser medidos como um total ou parte de uma dimensão. Visualizações, Página/Sessão, Sessões e Duração média das sessões são exemplos de métricas do Google Analytics. Para saber as métricas fazem-se as perguntas “Quanto?”. Sempre que você puder quantificar algo dentro do seu relatório, isso se refere a uma métrica.

Por que as métricas são importantes?

As métricas são muito importantes para o sucesso da sua página, pois, é por meio delas, que você analisa o desenvolvimento e retorno de suas campanhas de marketing digital, além de conseguir verificar a qualidade dos seus conteúdos.

Por exemplo, se você verifica que não há muitas interações de usuários em seu site, é possível que seu conteúdo não esteja cativando as pessoas a continuarem navegando. Do mesmo modo, se você investe em uma determinada campanha de marketing, mas percebe que o número de usuários permanece o mesmo, ou aumenta muito pouco, talvez seja necessário rever sua campanha.

O contrário também é verdadeiro: se há muitas sessões em seu site, provavelmente você tem acertado no conteúdo e pode direcionar a produção de novos conteúdos conforme o que tem tido sucesso. O que é válido também, se após determinada campanha de marketing o número de usuários aumenta bastante, você sabe como investir seus recursos sem ter prejuízo.

2.Sessões x Entradas

Muitos recursos, relatórios e métricas dependem de como o Analytics calcula as sessões. Por isso é tão importante compreender este conceito.

Sessão é o período de tempo que o usuário está ativamente envolvido com sua página. É um grupo de interações que ocorrem em seu website dentro de um intervalo de tempo, isto é, várias ações do usuário dentro do seu site. Uma única sessão pode conter várias exibições de tela, eventos, interações sociais entre outras coisas.

É importante ressaltar que um único usuário pode abrir várias sessões. Isso porque, a sessão é encerrada e aberta outra nova considerando os seguintes fatores:

  • Vencimento com base no tempo (incluindo o fim do dia):
  • Depois de 30 minutos de inatividade – Configuração do próprio Google
  • À meia-noite
  • Alteração de campanha:
  • Se um usuário entra por meio de uma campanha, sai e depois volta por meio de outra campanha. 

Mas quanto tempo dura uma sessão?

O Google começa a contabilizar o tempo da sessão a partir do momento em que o usuário inicia a navegação. Caso o usuário fique mais de 30 minutos sem interagir no site, essa sessão é encerrada e inicia-se outra assim que a interação retomar. Esse tempo é previamente definido pelo Google Analytics, porém, pode ser editado e variar entre poucos segundos ou várias horas. A escolha dessa configuração vai depender do tipo de conteúdo que você traz em sua página. Por exemplo, se em seu site você possuir uma vídeo aula de 50 minutos, durante todo esse tempo o usuário não irá interagir na sua página pois estará assistindo o vídeo. Dessa forma, não faz sentido manter a configuração de inatividade de 30 minutos, mas sim para um tempo superior ao tempo do vídeo.

Já as entradas são caracterizadas no primeiro hit (interação dos usuários, visualização de  páginas, evento, transação e comércio eletrônico etc.) de exibição de página ou de tela de uma sessão. Embora pareça que o número de entradas seja o mesmo que o número de sessões,  nos relatórios podem ser exibidos valores diferentes. Veja uns exemplos para ficar mais claro:

Exemplo 1

Entrada → página A → página B → saída

Você veria os seguintes dados para cada página:

Página A: 1 entrada, 1 sessão, 1 exibição de página

Página B: 0 entradas, 0 sessões, 1 exibição de página

O usuário entrou na página A (que também é contabilizada como uma exibição de página). Em seguida, o usuário passou para a página B antes de sair do site e encerar a sessão.

Exemplo 2 

Caso o primeiro hit da sessão for de evento, não de página, a sessão teria esta aparência:

Entrada → evento 1 (associado à página B) → página A → página B → saída

Você veria os seguintes dados associados a cada página nos seus relatórios:

Página A: 1 entrada, 0 sessões, 1 exibição de página

Página B: 0 entradas, 1 sessão, 1 exibição de página

Neste exemplo 2 o usuário entrou no site e acionou imediatamente um evento do Analytics hospedado na página B. Embora o evento seja hospedado na página B, ele ainda é um hit de evento, e não um de página. Sendo assim, não é possível que o Analytics atribua uma entrada para a página B. A entrada ainda é atribuída à página A porque o primeiro hit de página da sessão é enviado ao Analytics quando o usuário vai para a página A como a próxima etapa depois de acionar o evento.

3.Eventos

Assim como na vida real, eventos no Google Analytics representam algo que acontece. Se alguém clica no botão “Cadastrar seu e-mail” do seu site é um evento, pois ele está tendo um vínculo com sua empresa.

Qualquer coisa que aconteça em seu site pode ser um evento. Tudo depende da importância que ele tenha. Alguns eventos podem ser bem menos relevantes do que se espera, em compensação outros que pareçam irrelevantes podem ter um impacto muito grande na sua vida e na da sua empresa. A importância do evento varia em como você vai usar aquela informação. Contar quantas pessoas clicam na página inicial do seu site não ajuda em muita coisa, mas saber quantas pessoas clicam no botão “Mais informações” pode fazer com que você queira refazer toda a página de produto.

Alguns exemplos que podem ser úteis é saber quantos clientes:

  • Se cadastram para receber a newsletter – com isso você envia ofertas personalizadas com muita chance de venda;
  • Baixam seu catálogo de produto ou informativo – assim é possível saber se o material está sendo útil e se vale a pena ou não continuar produzindo;
  • Clicam nos filtros de Menor Preço – se muitos usuários clicarem pode ser que seja melhor mudar o filtro padrão;

 

4.Usuários

usuários são os visitantes do seu site. São diferenciados entre usuários e usuários ativos. A métrica usuários se refere à quantidade de pessoas que interagiram com o conteúdo de seu site em um determinado período de tempo. Isso significa que, se um mesmo usuário visualizar 10 vezes suas páginas, ele ainda contará apenas como um único usuário, será um usuário ativo e conta com métrica específica para ele. O Google reconhece o mesmo usuário por um período de 6 meses.

Os  usuários são mapeados durante sua navegação e, assim, só são contabilizados aqueles que nunca interagiram com seu site em outra ocasião.  Por meio desses dados, você tem uma ideia real se seu site está conquistando mais usuários ou apenas mantendo os que já possui.  

 5.Exibições de página x Exibições de página únicas

Uma exibição de página é definida como a visualização de uma página no site que está sendo monitorado pelo código de acompanhamento do Analytics. Se um usuário recarregar a página depois de acessá-la, será contabilizada mais uma exibição de página. Se o usuário navegar para uma página diferente e, em seguida, retornar para a página original, uma segunda exibição de página também será registrada.

Uma exibição de página única agrega exibições de página que são geradas pelo mesmo usuário durante uma mesma sessão, independente de quantas vezes ela pode ter sido carregada repetidamente nesta mesma sessão. Ou seja, uma mesma página pode ser visualizada muitas vezes dentro da mesma visita ou sessão, contudo contará como uma única página visualizada.

6.Taxa de rejeição x Taxa de saída

Apesar de assustador, o termo Taxa de rejeição se refere a taxa de visitas a uma única página, ou seja, o usuário entrou no site e não visitou qualquer outra página ou não acionou nenhum evento determinado, ele simplesmente sai pela mesma página que entrou no site. A taxa de rejeição de uma página baseia-se apenas nas sessões que começam com ela.

Já a taxa de saída representa a porcentagem em que a página foi a última na sessão para todas as exibições de página. Por essa métrica é possível analisar qual página está espantando usuários ao invés de atraí-los.

Um ponto importante a se observar durante a criação de seu site é a presença de links que tiram o usuário da navegação na página e o levam a páginas externas.

7.Metas

Todo site tem um propósito para o visitante que o acessa, independente do seu tamanho. Sites de e-commerce tem como finalidade a venda de produtos. Blogs podem ter o propósito de obter leitores assíduos, comentários, ou até assinantes de feeds. Em sites promocionais, o objetivo poderia ser coletar e-mails de pessoas interessadas nas promoções, e assim por diante. Mas como verificar se o site está atingindo seus objetivos? Através das metas.

A principal finalidade das metas é mensurar as conversões de um possível objetivo ou ação do usuário no site. Ou seja, medir quantos visitantes efetuaram o conjunto de ações esperadas (compra, cadastro de email, assinante de feed ou outros). Há 5 tipos de metas, listados na tabela abaixo:

TIPO DE META DESCRIÇÃO EXEMPLO
Destino Um local específico é carregado Agradecemos seu registro. página da Web ou tela do aplicativo
Duração Sessões que duram determinado tempo ou mais 10 minutos ou mais gastos em um site de suporte
Páginas/Telas por sessão Um usuário que visualiza um determinado número de páginas ou de telas Cinco páginas ou telas foram carregadas
Eventos Uma ação definida como um ‘evento’ é acionada Recomendação social, reprodução de vídeo, clique em anúncio

 

Esses foram os conceitos básicos do Analytics. Veja agora como você pode configura-lo em seu site. Acesse o post!